• Milena Pontes

Claudia Mota 10 anos como Primeira Bailarina do Teatro Municipal do RJ!

Atualizado: 18 de Mar de 2019


No mês de abril Claudia Mota comemora 10 anos como Primeira Bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Imaginem quantos momentos foram vividos nestes anos!

 Para comemorar esta data, ela me contou algumas de suas  histórias marcantes, relembrando emoções, desafios  e pessoas queridas que fazem parte da construção de sua carreira.

 Relembrar a história de Claúdia,  é reviver parte da história do ballet no Brasil e no mundo. Sua arte contribui para que possamos viver a mágia do ballet clássico pautados pela tradição, excelência técnica e artística. 

"Foram vários momentos da minha carreira, mesmo antes de ser Primeira Bailarina, que eu guardo com muito carinho.
"Aqui eu enumerei alguns deles, os mais importantes de cada ano, depois da minha nomeação oficial, em 2007 pelo então diretor artístico Marcelo Misailidis."


2007

- Ano em que, oficialmente, me tornei Primeira Bailarina do Theatro Municipal do RJ.

 - O Lago dos Cisnes foi o primeiro ballet que eu dancei depois de ter sido nomeada.

Foi um dos maiores desafios da minha carreira, apesar de já ter tido o prazer de interpretar Odete e Odile por duas vezes, anteriormente. Fiz o possível para que o "peso" do cargo não influenciasse na minha atuação e foi exatamante o que aconteceu... nunca havia estado tão segura e a vontade em cena nesse ballet.




 - Este ano também teve outro fato importante. Me tornei GMArtist, ou seja; estou comemorando também 10 anos de parceria com a Gaynor Minden. 


2008

- Voltei a viver Giselle, meu eterno amor! A seguir explico o porque. 

 - E Interpretei pela primeira vez no ballet Coppélia no papel de Swanilda. Nunca me diverti tanto com uma personagem! Um papel desafiador e cansativo tecnicamente, por ser muito aeróbico, mas uma delicia de dançar.


2009

- O Theatro Municipal fechou para reforma. Durante uma pequena turnê nacional, dançamos o ballet Floresta Amazônica, com musica de Villa Lobos e coreografia da querida, Dalal Achcar. Tive o enorme prazer de interpretar "Deusa", uma personagem doce que marcou a minha infância, pois me lembro muito de ver essa linda obra no palco do Theatro Municipal , com coro, ballet e orquestra. 


2010

- Este foi, sem duvida alguma, um ano muito marcante na minha carreira.

- Pela primeira vez no Brasil, o ballet Carmen, de Roland Petit, era inserido em uma temporada de ballet e eu tive a honra de ser escolhida para interpretar esse papel dos sonhos de qualquer bailarina. Sonho esse, que pude realizar por varias vezes aqui no Theatro, assim como no Teatro Alfa durante uma temporada em São Paulo.

Nota pessoal: Eu fui ! E  me inspirou a voltar a dançar depois de sete anos parada, e sem assistir a nenhum ballet. Foi marcante para mim também Claudinha ;)


2011

- Mais uma vez o ballet  Giselle entrou em cena. Este ballet se tornou o ballet mais importante da minha carreira e o que eu mais amo, pois foi quando me firmei como artista e me encontrei como bailarina.

 Quando o vivi pela primeira vez em 2003 me deu muitas alegrias e uma delas, foi o Prêmio de Melhor Bailarina da America Latina, reconhecido pelo Conselho Latino-americano de Dança.



"Eu amo "Giselle"... Amo a personagem e amo a história. Posso senti-la dentro de mim logo no primeiro ensaio, é algo inexplicável!"

 -Ainda em 2011, realizei mais um sonho; viver Julieta e poder voltar a trabalhar com os grandes Marcia Haydee e Richard Cragun, que me preparam com uma generosidade sem tamanho digna das grandes estrelas.




2012

- Representei o Brasil na Gala of Etoiles of Miami, a convite do Diretor Pedro Pablo Pena.

- A convite do ex Primeiro Bailarino do Royal Ballet, Inani Urlezaga, junto ao Ballet Concerto, fiz uma turnê pela Argentina dançando Giselle como sua partner. Uma experiência incrível!

- Depois de 6 anos, bem mais amadurecida artisticamente, voltei a interpretar um dos papeis que mais me realizou como artista e bailarina,  Tatiana em Onegin. Foi maravilhoso vivê-la mais intensamente, e novamente ser ensaiada pelos gênios Marcia Hayden e Richard Cragun.


2013

- Mais um Lago dos Cisnes! Cada ano interpretando esse ballet me trouxe uma nova descoberta... Um novo caminho...Uma delicia desbravar esse mundo encantado do "Lago" de diversas maneiras, construindo a cada espetáculo um novo Cisne... Eu amo o Lago.


- Turnê pela Argentina com o Buenos Aires Ballet, como partner de Federico Fernandez, Primeiro Bailarino do Teatro Colón, conquistando cada vez mais o público argentino que, desde sempre, me recebe com muito carinho.




2014

- Voltei a dançar uma obra que eu adoro, Nuestros Valses de Vicente Nebrada, super dançante e lindo, onde me coube o casal principal Vermelho -  desafiador e apaixonante.


- Marcou também e volta de Coppélia, sempre muito divertida.

- No meio do ano, fui nomeada pela UNESCO, Membro do Conselho Internacional da Dança, pela contribuição na dança nacional e por levar o nome da dança do Brasil ao exterior. Mas o melhor ainda estava por vir. Em agosto, recebi um convite que mal poderia acreditar... 

- Um dos maiores bailarinos de todos os tempos, Julio Bocca, hoje Diretor Artistico do Ballet Nacional Sodre, me convida para dançar o ballet La Bayadere, com a sua Companhia. E para a minha felicidade ser ainda maior, a versão que eu em 2000, ainda muito jovem, tive a honra de ser escolhida pela sua coreografa para interpretar o papel de Gamzatti, o mesmo ao qual me incumbiu Julio. E a coreógrafa? Natalia Makarova!

 Tamanha era a felicidade que eu tirei uma licença e fui passar um mês em Montevideu para ensaios junto ao ballet Nacional Sodre para ser ensaiado por Julio, o grande maître de ballet  Willy Burmann e a remontadora Olga Evreinoff. Sem dúvida, estava vivendo um dos momentos mais especiais de toda a minha carreira.


2015

"Duas grandes obras. Dois grandes momentos. Dois grandes nomes."

- Raymonda - ensaiada por Galina Kravchenko, grande solista do Ballet Bolshoi e hoje maître de Ballet da Escola Bolshoi em Joinville. Doce e generosa, Galia é um amor de pessoa e muito exigente quanto ao estilo que o ballet Raymonda exige. Adquiri um enorme aprendizado!

 


- Les Sylphides - ensaiada por ninguém menos que Tatiana Leskova.

Tatiana foi também a grande responsável por eu estar como estagiaria no corpo de baile e pelo meu primeiro papel na carreira, quando interpretei 'Paixão", em "Les Presage" obra de Massine,  qual foi remontada.


2016

- Completo os quatro movimentos da linda obra de Uwe Schulz a 7º Sinfonia. Um grande desafio!

 - A volta dele, O Lago dos Cisnes.  Acho que este é o ballet que mais dancei na vida, depois de "Serenade", do meu grande ídolo, George Balanchine, ainda quando era solista da companhia. 

Confesso que, nunca aproveitei tanto do "Lago" como dessa vez. Acho que os anos de experiência me fizeram descobrir que, por mais desafiador que seja, mais cresce a minha paixão por essas personagens.  

"A arte de vivê-las fica em primeiro plano e me fazem questionar; Porque não as dancei sempre assim?  Mas o tempo vai me dando as respostas."

 - Ainda em 2016, pude ter o privilegio de conhecer o Conservatotrio Internacional de Danca de Portugal. Poder passar um pouco da minha experiência para os novos e incríveis talentos de lá me proporcionou um prazer que eu desconhecia; Lecionar. 

 - Durante os Jogos Olímpicos, recebi o convite para ser Condutora Oficial da Tocha Olímpica, Foi uma emoção indescritível representar a classe em tão lindo evento.

 - Em novembro, representei o Brasil na Gala of the Stars em Santo Domingo -  Republica Dominicana. A Gala reuniu alguns dos maiores bailarinos do mundo na atualidade, e estar entre eles foi gratificante, ainda mais abrindo o Grand Prix Vladimir Malackov, que premia jovens talentos bailarinos de todo o mundo.

"Coisas que acontecem na vida de uma bailarina , mas que nunca estamos esperando!"

Fui dançar na Gala com o Primeiro Bailarino Moacir Emanoel. Só que houve um imprevisto. Além de dançar com ele tive que dançar com o Primeiro Bailarino do San Francisco Ballet, Tiit Hellimets (sua partner Matilde Frostin também Primeira Bailarina e ex Ópera de Paris, se acidentou a caminho de Santo Domingo, ficando impossibilitada de dançar). Na noite anterior, fui chamada por Paul Seaquist que me questionou se eu dançaria com Tiit o grand pas de deux de o Quebra Nozes, só havia um detalhe; a Gala era no dia seguinte. Bem,  ás 8:00 da manhã já estávamos com figurino ensaiando no palco e dançamos.

 Foi um enorme prazer dançar com Tiit, um dos melhores bailarinos do mundo!



 - Em dezembro me veio um convite inesperado, ser Embaixadora de um filme no Brasil. A Paris Filmes me escolheu para representar o filme "A Bailarina", assim como fazer ações e participações na qual o filme estava envolvido. Isso me deixou muito feliz, porque foi a primeira vez que uma bailarina brasileira representava um filme estrangeiro e eu fiquei muito  honrada com essa escolha.


 -  Em quase todos esses anos, fechamos nossas temporadas com um grande clássico e muito querido do grande publico, o ballet O Quebra Nozes. Sempre é um enorme prazer dançar Rainha das Neves e a Fada Açucarada, na versão de Dalal Achcar, que foi reconhecida como a Melhor de todos os tempos.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 Uma linda carreira, não é mesmo?

 Claudia, que venham muitos anos mais! Obrigada por sua dança e brilho, e por me confiar relembrar tantos momentos importantes. 


Gostou do artigo? Então cadastre seu email  e receba novos conteúdos.


Ballet também é o seu assunto favorito?

 

 Inscreva-se para receber as novidades. 

© 2015 Tutu4Love| Ballet e Ponto.