• Milena Pontes

Balés Ilustrados livros da bailarina Regina Kotaka

Atualizado: 18 de Mar de 2019



Quando me vi com os livros da bailarina e ilustradora Regina Kotaka em mãos, pensei no desafio que seria traduzir para vocês o primor deste trabalho.

 Podemos começar conhecendo um pouco da história da Regina, reconhecida nacionalmente por seu trabalho na área da dança. Iniciou sua carreira no Curso de Danças Clássicas da Fundação Teatro Guaíra – Curitiba/ Brasil. Depois se dedicou ao aperfeiçoamento durante 1 ano no Centre de Danse International Rosella Hightower – Cannes/França. Ao retornar  participou de uma audição para preenchimento de uma vaga no Balé Teatro Guaíra (maior companhia de dança do Paraná e uma das mais importantes do país) onde atuou por 25 anos como bailarina principal. Regina também obteve sucesso já como profissional fora do Brasil, atuando como solista no Freiburgstatheater, em Freiburg – Alemanha, dirigido por Kristina Hovart, e como 1ª solista na Companhia Nacional de Bailados, Lisboa – Portugal. 

 “Minha carreira foi vitoriosa. Sinceramente ambicionava dançar como solista e como qualquer bailarina profissional, chegar a ser uma referência no mundo da dança.  Dancei à frente do Balé Teatro Guaíra, onde tive a oportunidade de protagonizar grande parte das obras do repertório da Companhia, tanto clássicos como o Quebra-Nozes as versões de Carlos Trincheiras e Carla Reinecke, Bodas de Aurora (Tatiana Leskova), Petruschka (Carlos Trincheiras) e Coppélius: O mago (Marcia Haydée) e várias obras tendo sido criadas especialmente para mim, tais como O Segundo Sopro de Roselli Rodrigues, O Grande Circo Místico de Luis Arrieta, Canções de Wesendonk de Milko Sparenbleck , Transito de Ana Vitória entre outros.
Fora do Brasil foi onde interpretei clássicos tradicionais, O Lago dos Cisnes, Baile dos Cadetes, La Sylphide, Les Sylphides,  Napoli, Suite en Blanc... neoclássicos, Serenade e Concerto Barroco de Balanchine, Sagração da Primavera ( Carlos Trincheiras) Carmina Burana (Armando Jorge) além de clássicos da dança moderna ( A Mesa Verde de Kurt Joss e There is a Time de José Limon).”

 Em 2010 a bailarina obteve a graduação em Dança pela Faculdade de Artes do Paraná, o que a possibilitou dar ao livro uma maior profundidade acadêmica. 

“As técnicas de pesquisa e embasamento teóricos praticados durante o curso de graduação me capacitaram para fazer uso de diversos autores, como: L. Kirstein, M. Stuart, A. Vaganova (Método Russo), G. Guillot, G. Prudhommeau (Método Francês), C. Beaumont e S. Idzikowski (Método Italiano), R. Ryman (Método Inglês) M. Rosay e D. Tadra. Todos estes são estudiosos que, em seus próprios modos, descrevem métodos específicos que aparecem em escolas e companhias de dança brasileiras.”  

Balés Ilustrados: Giselle  foi o primeiro de uma série de livros cuja proposta inédita é ilustrar histórias há muito conhecidas pelo público apreciador da dança clássica. No papel, para quem já teve a oportunidade de assistir a peça, nos deparamos com as imagens ilustradas cuidadosamente em harmonia com o desenho coreográfico original. Kotaka expressa por meio de suas ilustrações, a emoção e o lirismo do libreto original.



O trabalho, direcionado primeiramente para atender ao público infanto-juvenil que se dedica à dança, é instrumento facilitador para educadores que desejam explorar o universo de relações entre as imagens e a dança e para o público em geral, que terá acesso a uma abordagem do balé clássico mais dinâmica e compreensível.

A escolha deste repertório se deu por vários motivos. Giselle foi um dos primeiros clássicos que dançados por Regina, ainda como aluna no Teatro Guaíra. É um dos poucos ballets cujo o libreto original se encontra disponível, e possui  um registro coreográfico, sendo possível reconhecer as sequências de movimento em qualquer que seja a remontagem. É o marco do apogeu do romantismo e  são só dois atos.  

 “O trabalho de ilustração foi essencialmente pautado nas características da história e nos personagens criados por Theóphile Gautier. Foram realizadas pesquisas em livros e publicações para contextualização histórica, elaboração dos figurinos (no ato 1 precisei encurtar as saias deixando os joelhos a mostra para que as pernas não parecessem estar trocadas), ambientação dos cenários e para construção da narrativa, além da pesquisa de movimentos específicos do balé clássico (escola romântica), dos trechos coreográficos a partir de vídeos, de aulas de balé clássico e ensaios do balé Giselle. Obviamente as cenas não tem a mesma duração nem a mesma repetição das frases coreográficas, no entanto são facilmente reconhecíveis.  A idéia principal do livro foi justamente facilitar a compreensão da obra e ao mesmo tempo oferecer ao leitor uma experiência diferenciada do repertório da dança clássica.”

 Podemos aguardar outros repertórios também através da linguagem de HQ’s, porém ainda sem data definida. O processo de criação é exigente; Ilustrar, colorir, pesquisar, escrever, enfim... Mas Regina me revelou que pensa em começar com repertórios que tenham suas histórias menos conhecidas, assim a provocam e instigam o processo criativo também. 

 Além do conteúdo principal, o livro traz os depoimentos de grandes personalidades da dança como Cecilia Kerche, Eleonora Greca, Cristiane Wosniak e Eliana Caminada o qual destaco pela riqueza com a qual compartilha com todos os leitores sua experiência ao interpretar Giselle, e reafirmando a importância desta obra para a história da dança. 


O segundo livro: “Balés Ilustrados: uma enciclopédia para a dança clássica” teve seu conceito inicial baseado em uma das matérias da faculdade de Dança: “Terminologia da dança Clássica”.  

“O material que tínhamos disponível em português era escasso... as apostilas geradas pela nossa professora e o dicionário da madame Rossay. O jeito era recorrermos para publicações em francês, inglês ou espanhol.  Foi bom, fui adquirindo a fundamentação teórica que usei para o livro. Agora já temos mais algumas publicações como as do Flávio Sampaio, Eliana Caminada e a tradução de A. Vaganova para o português. No entanto, por experiência própria, apenas descrições dos movimentos nem sempre são compreendidos, ficando dúvidas de como realizá-los. As inúmeras formas dos pas de bourrés é um exemplo.”


  Para fazer as ilustrações, além da própria experiência como bailarina e ilustradora autodidata, Kotaka contou com a colaboração de colegas, que posaram e executaram os movimentos para que ela pudesse retratar a arte de maneira compreensível. 

Segundo Kotaka diferentemente do que muitos acreditam, por ser uma técnica codificada ela não está estagnada, vem sofrendo transformações e atualizações ao longo dos anos. E a construção do artista e a sua expressividade podem ser despertados a despeito dos paradigmas do corpo perfeito, e que descobrir as possibilidades do corpo ao entrar em contato com a técnica clássica, através do reconhecimento de sua estrutura e suas organizações, abre espaço para uma maior conscientização. É nesse sentido que a contemporaneidade estabelece, preserva e valoriza sua história. Não negando, mas aliando-se ao referencial que sobrevive por estar em continua evolução.  

Cristiane Wosniak, pesquisadora de comunicação e linguagens e professora na mesma universidade onde Regina se formou, responsável pelo prefácio do livro, acredita que a obra é uma boa oportunidade para aproximar a teoria aplicada em sala de aula da prática. Segundo Wosniak, o livro ajuda a divulgar os valores do balé clássico: “a correta postura e o alinhamento corporal, o uso da respiração na execução das sequências de movimento, as noções de equilíbrio, flexibilidade, elasticidade e coordenação motora”.

Além de Cristiane Wosniak, o livro ainda conta com introdução de: Adriana Villela, Ana Botafogo, Cecilia Kerche, Eliana Caminada e Débora Sucupira Arzua Tadra.

 Regina Kotaka deixa claro que espera que este livro reate a relação entre o público e a dança clássica. “Quero que a nova geração ajude a fortalecer a cultura do balé clássico no Brasil e que esse livro ajude a desmistificar a arte erudita, porque traz o conteúdo que estava faltando de uma maneira acessível. “

“Muitas crianças dizem que querem ser bailarinas quando crescerem. É um sonho muito comum. Quero dar a essas crianças o material necessário para que elas possam realizar esse sonho, ou, ao menos, chegar mais perto dele.”

Serviço:

Os interessados podem adquirir  através do email : regina.kotaka@uol.com.br

Ou Livrarias Curitiba, Saraiva e Cia dos Livros. E logo estarão disponíveis nas principais livrarias brasileiras.

Balés Ilustrados: Giselle R$50,00

Balés Ilustrados: uma enciclopédia para a dança clássica: R$99,00

516 visualizações

Ballet também é o seu assunto favorito?

 

 Inscreva-se para receber as novidades. 

© 2015 Tutu4Love | Ballet e Ponto.